A previsão meteorológica tem sido cada vez mais usada nas cidades por pessoas comuns. Em seus smartphones, elas baixam apps que indicam se vai chover, a que horas, as temperaturas durante o dia e outras informações que ajudam a planejar a rotina.

Mas há diversas áreas da economia, como a construção civil e a agricultura, e diversos setores, como a aviação e o transporte de cargas, que precisam desses dados para uma melhor operação.

A navegação em alto-mar é mais uma dessas atividades que dependem de forma integral da meteorologia para otimizar rotas, evitar acidentes e garantir a segurança das tripulações.

Você já pensou como a previsão do tempo é usada na navegação em alto-mar? Este post explora o assunto e revela essas relações. Boa leitura!

O que é a previsão meteorológica?

A meteorologia é uma ciência de origem antiga, que tem como objetivo analisar a atmosfera terrestre para entender os fenômenos que acontecem ao redor da superfície do nosso planeta. É da competência da meteorologia entender sobre os ventos, as correntes marítimas, as massas de ar e fenômenos como El Niño e La Niña.

A partir do século XVII, essas observações ficaram mais profissionais e com maior exatidão científica. Mas o maior empurrão para o desenvolvimento da meteorologia veio depois da Segunda Guerra, quando os países formaram uma rede de compartilhamento de dados meteorológicos, aumentando a quantidade disponível de informações sobre as quais fazer as análises.

A previsão meteorológica é, portanto, a atividade de observar as condições do tempo, interpretá-las e apontar possibilidades do que deverá acontecer nos próximos dias, semanas e até meses.

Como a atmosfera é dinâmica, a situação muda a todo instante, e a previsão é fruto de uma interpretação dos dados, não se trata de uma ciência exata. Há uma margem de incerteza. Mas as informações meteorológicas são fundamentais para que possamos nos organizar e planejar em diversas atividades do âmbito pessoal e profissional.

Com os dados da previsão do tempo, gestores do varejo conseguem organizar melhor os pedidos de reposição do estoque. No agronegócio, é possível tomar decisões quanto às melhores épocas para determinadas ações, tipos de sementes que terão melhor desempenho diante do tempo que fará na estação, providências para o cuidado com o gado. 

Esses são apenas alguns exemplos. Mas o mundo dos negócios está permeado de setores que se beneficiam das informações fornecidas pelos boletins meteorológicos. A aviação e a navegação são mais dois deles.

Como os dados meteorológicos são coletados?

Os dados meteorológicos vêm de diversas fontes, de todo o globo terrestre e também em diferentes altitudes. As estações meteorológicas são estruturas equipadas com diversos aparelhos de monitoramento atmosférico.

Nessas estações, há aparelhos para medir a pressão atmosférica, os ventos, a nebulosidade, as temperaturas e outros fenômenos. Elas podem estar localizadas em diversos lugares, como na superfície terrestre (em parques ou reservas de fazendas), no ar (em balões e aviões) e nos mares e oceanos.

Todas essas estações fazem parte de uma rede mundial de coleta de dados meteorológicos, o Sistema Global de Telecomunicações (SGT). Esses dados são interpretados por serviços de todas as partes do globo.

Por que esses estudos são importantes para a navegação em alto-mar?

Todas as atividades que lidam diretamente com forças da natureza, como a agropecuária, a produção de energia hidrelétrica e outras, têm, na previsão do tempo, uma de suas grandes aliadas. Na navegação em alto-mar, é importante saber quais as condições do tempo para garantir que o deslocamento seja feito no tempo esperado e também por uma questão de segurança.

Quando a viagem é para o transporte de cargas, há uma estimativa de quando os produtos deverão chegar ao destino. Se a carga for perecível, como a dos navios pesqueiros, respeitar essa estimativa de chegada é fundamental para garantir a viabilidade da comercialização dos produtos.

Já no caso das viagens de transporte de passageiros, como os cruzeiros marítimos, por exemplo, as empresas precisam respeitar o tempo da viagem para não prejudicar possíveis reservas e os planos dos passageiros. Além disso, quando um navio parte para uma viagem em alto-mar, ele carrega consigo suprimentos para um determinado período. Se há uma extensão do prazo da viagem, esses recursos podem ficar escassos para tripulação e passageiros.

Saber das condições meteorológicas é fundamental para que a tripulação possa planejar as melhores rotas, fugindo de intempéries que possam atrasar a viagem. Por fim, navegar por águas tranquilas também evita acidentes, o que garante a segurança das pessoas a bordo.

Quais fatores climáticos influenciam a navegação?

Alguns fatores climáticos têm uma maior influência sobre as rotas e a segurança das embarcações. Veja a seguir os principais.

Ventos

Um dos principais fatores que têm influência na navegação em alto-mar são os ventos. Com eles, mudam as condições do mar, criam-se as chamadas ressacas, ondas de grande volume de águas e os redemoinhos. As águas também são perturbadas pelas tempestades e pelas chamadas trombas d’água, que acontecem quando há a formação de um tornado no oceano ou em um mar.

Para a navegação, é importante levar em consideração a velocidade e a direção dos ventos, por dois motivos. O primeiro deles é conseguir prever as condições do mar — se estará calmo ou agitado. Depois, é importante analisar os ventos para estabelecer a rota de viagem e também o plano de navegação. Se em boa parte do trajeto houver fortes ventos na direção contrária, até o consumo de combustível da embarcação será diferente.  

Visibilidade

Fortes nevoeiros podem esconder obstáculos, como formações rochosas, bancos de areia e icebergs. Quando a visibilidade está baixa, os navegantes precisam confiar ainda mais nos aparelhos, para garantir que a embarcação não se envolva em acidentes.

Temperaturas

Na navegação, as temperaturas tornam-se particularmente relevantes quando elas estão baixas. Em muitas regiões do globo, principalmente próximas aos polos, é comum a água congelar. Isso pode ter consequências no itinerário da viagem e também na segurança da tripulação.

Correntes marítimas

As  correntes marítimas não chegam a ser fatores climáticos, mas fenômenos naturais que influenciam de maneira muito relevante no clima de uma determinada região. Provenientes de diversos pontos do globo terrestre, com temperatura e densidade de água próprias, e movimentação característica, esses fenômenos devem ser levados em consideração quando se planeja uma rota de navegação.

Para um navio pesqueiro, por exemplo, pode ser interessante navegar junto de alguma corrente que carregue grande quantidade de vida marinha.

A navegação também tem papel na meteorologia?

Até agora, falamos sobre a importância da previsão meteorológica na navegação. Mas a relação entre essas duas atividades é de mão dupla. Ou seja, a navegação também tem um papel importantíssimo na previsão do tempo.

Os navegantes coletam dados sobre as condições atmosféricas e anotam tudo em seu diário de navegação. Depois, essas informações são disponibilizadas e passam a fazer parte de um banco de dados mais completo, que ajuda a entender melhor o que acontece naquele pedaço da superfície terrestre, melhorando ainda mais a previsão meteorológica.

Se a sua empresa também lida com atividades que interagem com as condições do tempo e dependem delas para serem otimizadas, entre em contato conosco! Nós temos soluções personalizadas de serviços de monitoramento meteorológico.