Os estudos sobre os impactos da previsão do tempo em setores como a agricultura e aviação civil já estão bastante consolidados. Mas foi há pouco tempo que o marketing descobriu que o clima pode estar entre os fatores que influenciam o comportamento do consumidor.

Gestores do varejo e de negócios de mídia devem sempre acompanhar essas relações, de forma a adequarem suas ações ao contexto. Ao longo do artigo, vamos explicar melhor essa dinâmica. Boa leitura!

Exposição à luz solar aumenta o consumo

Em cidades e países onde há muitos dias nublados, muitas pessoas sofrem do chamado “transtorno afetivo sazonal” (SAD, na sigla em inglês). Em poucas palavras, a falta de exposição à luz solar aumenta os níveis de depressão e, de uma forma geral, deixa as pessoas um pouco mais tristes.

O que é novidade aqui é que um estudo realizado por pesquisadores canadenses e publicado no “Journal of Retailing and Consumer Services” conseguiu estabelecer uma relação entre o SAD e o comportamento do consumidor. Os pesquisadores concluíram que uma maior exposição solar aumenta a propensão das pessoas às compras. Para o varejista, isso significa que a previsão de dias de sol provavelmente fará sua demanda aumentar, e ele precisa estar preparado.

O clima determina o aumento ou diminuição da oferta

Muitas empresas baseiam a oferta do seu mix de produtos nas condições meteorológicas. É por isso que geralmente é mais difícil encontrar um cobertor em lojas brasileiras em dezembro ou janeiro. Do ponto de vista dos negócios, gestores que fazem essa escolha estão certíssimos: a demanda por determinados produtos realmente cai diante de certas condições climáticas.

Porém, é fundamental estar sempre de olho na meteorologia: uma onda de calor em meses mais frios, ou uma frente fria na estação mais quente podem fazer a demanda mudar radicalmente. Os gestores que não agirem proativamente correm o risco de ficar sem estoque para atender a essa demanda.

Oferta de produtos sazonais muda com as estações do ano

Quem trabalha no ramo alimentar precisa lidar com esta realidade muito frequentemente: os produtos frescos disponíveis no mercado mudam de acordo com as estações do ano. Mas quem está em outros setores também deve ficar atento a isso. Pode ser arriscado, por exemplo, o varejista não investir em ter no estoque aparelhos de ar-condicionado no verão brasileiro.

Essa sazonalidade pode ser, inclusive, uma estratégia de negócios: uma loja que venda produtos fora da estação tem grandes chances de prosperar fazendo seu marketing para clientes que viajarão para o hemisfério norte, por exemplo.

Chuva pode espantar consumidores

Um outro levantamento, este feito pela agência Rich Relevance, cruzou dados do consumo em sites de e-commerce com o comportamento dos consumidores, especificamente da cidade de Seattle, nos Estados Unidos.

O que esse estudo revelou foi que as vendas nesses sites crescem em dias chuvosos. Olhando por um outro ângulo, podemos concluir que, debaixo de chuva, as pessoas preferem ficar em casa — péssima notícia para quem tem lojas físicas, pois esses estabelecimentos certamente venderão menos.

Por outro lado, nos dias de mais sol, as vendas nos e-commerces analisados pelo levantamento diminuíram. Isso pode indicar que as pessoas estão fazendo suas compras in loco. Para não perder vendas, então, uma boa ideia pode ser oferecer as duas possibilidades aos clientes: um ponto de vendas físico e um site para comprar online — e, é claro, observar as condições do tempo para conseguir atender a demanda on e offline.

Obviamente, quando falamos em comportamento humano, nenhuma regra consegue ser generalizadora e traduzir toda a complexidade das diferentes personalidades e dos comportamentos. Mas esses indicativos sobre os fatores que influenciam o comportamento do consumidor são estrategicamente importantes para os gestores.

Quem trabalha diretamente no varejo pode se planejar para uma reposição de estoques mais acertada. Pode também coordenar uma campanha publicitária valendo-se das informações obtidas com a previsão do tempo. Já os gestores de mídia podem auxiliar seus clientes nesse planejamento, mostrando a eles a importância de ações que sejam contextualizadas com as condições atmosféricas.

De que forma as condições do tempo influenciam nos seus negócios? E como você lida com isso? Deixe seu comentário no post e conte-nos!