A prevenção e o planejamento são amigos número um do homem. É a partir deles que podemos ter mais eficácia em nossos objetivos, diminuindo as porcentagens de erro capazes de colocar projetos a perder. Nisso entra a meteorologia, uma ciência surgida no século XVII para analisar a atmosfera terrestre.

Por meio dela, as pessoas podem se livrar do achismo e prever circunstâncias importantes — o que, desde o seu descobrimento, foi decisivo em várias situações. A meteorologia já alertou quando um evento ou viagem deveria ser cancelado, preveniu desastres naturais e até já definiu o rumo de batalhas. Isso sem contar os estudos da influência de variáveis meteorológicas na saúde e agricultura, por exemplo.

Por tudo isso, essa ciência é muito mais do que uma mera previsão do tempo, e até hoje surpreende com a amplitude de áreas que abrange. Então, ficou curioso para saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e confira 7 informações importantes sobre a meteorologia!

1. A primeira previsão do tempo na história

Arquivos mostram que a primeira previsão do tempo ocorreu ainda em 1860, na Holanda. Publicada no jornal The Times, ela alertava a ocorrência de uma violenta tempestade.

Notícias importantes como essas foram impulsionadas com a invenção do telégrafo, que transmitia informações meteorológicas de várias regiões. A partir de então, a meteorologia foi evoluindo, e cientistas como Jacob Bjerknes desenvolveram teorias que permitiram o estudo das frentes frias.

Em 1957, a primeira previsão do tempo foi televisionada dentro da Universidade de Pensilvânia, nos EUA. Quem apresentou todo esse momento histórico foi um professor da Universidade, Joe DeNardo. Ele desenhou figuras em uma lousa, que explicavam ao público qual seria a previsão do tempo para os próximos dias.

2. A meteorologia e as medidas de saúde pública

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), eventos como secas, inundações e ciclones são capazes de gerar surtos epidêmicos de doenças como a malária, diarreia, dengue e meningite. Por isso, monitorar as mudanças climáticas é importante também para a saúde pública, ajudando o Estado e a comunidade a tomar medidas para evitar esses desastres.

Inclusive, Hipócrates — considerado o “Pai da Medicina” — já afirmava, há mais de 2000 anos, que o desejo de estudar medicina deveria partir do princípio de entender quais efeitos cada estação do ano produz. No sul do Brasil, por exemplo, temos as alergias típicas da primavera e o pólen de cereal de inverno, que floresce nesse período.

3. O primeiro higrômetro

Para que a meteorologia funcione bem são necessários alguns instrumentos específicos. Um exemplo é o higrômetro, usado para medir a umidade relativa e absoluta do ar.

Sua primeira construção foi realizada pelo cientista inglês John Frederich Daniell, em 1820. O seu funcionamento ocorre de modo mecânico, utilizando materiais orgânicos (como o cabelo) capazes de se dilatar ou contrair de acordo com as variações da umidade atmosférica.

4. A década mais quente da história

A partir da meteorologia, foi possível definir a década entre 2001 e 2010 como a mais quente da história, segundo dados coletados na Organização Meteorológica Mundial (OMM). Isso prova que o aquecimento global é uma realidade, que deve conscientizar as autoridades e a sociedade sobre a importância de medidas que diminuam esse aquecimento.

Ainda de acordo com a OMM, o ano de 2010 foi o 10º mais quente registrado na história desde 1850, quando as medições de previsão tiveram início. 40% dos países que submeteram seus dados bateram recordes nacionais de calor nessa década, contra 15% no final dos anos 90 e 10% entre os anos 1981-1990.

5. A temperatura mais alta já registrada

A meteorologia também já identificou algumas das temperaturas mais altas registradas no mundo. Uma delas ocorreu no Vale da Morte, um deserto com localização no leste da Califórnia, Estados Unidos. Os registros mostram uma temperatura atmosférica de 56 ºC. Este é considerado o local mais seco do país.

Outro grande deserto que bateu recordes de temperatura alta foi o Dasht-e-Lut, localizado no Irã. No ano de 2015, um satélite da NASA registrou uma temperatura atmosférica de 70 °C na superfície do planeta. Tudo isso faz o local ser considerado o mais quente do planeta.

6. A temperatura mais baixa já registrada

Já as temperaturas mais baixas registradas no mundo são destacadas na Rússia. A região de Omyakon, que fica a cerca de 380 km do Circular Polo Ártico, já chegou a marcar -71,2 °C no ano de 1926. Essa foi a temperatura mais baixa já registrada no Hemisfério Norte àquela época.

Outro lugar que não fica para atrás quanto às temperaturas baixas é o Estacion Vostok, na Antártica. A região próxima do Polo Sul chegou a ter -89,2 °C, no dia 21 de julho de 1983. Isso a colocou como a temperatura mais baixa já registrada no mundo contemporâneo.

7. Invasão da Normandia e a batalha de Stalingrado

Durante a maior operação militar de toda a história, a previsão do tempo foi fundamental para o sucesso no Processo de Planejamento Militar (PPM).

As análises meteorológicas realizadas pela Previsão Numérica do Tempo (PNT) mostraram que os dias 4 e 5 teriam climas extremamente severos, capazes de mudar o resultado da batalha. O dia 6 de julho de 1944, por outro lado, era o mais viável para a operação de Normandia ser realizada. E isso deu certo.

Já na batalha da Alemanha contra a Rússia, o país de Hitler tinha uma estação meteorológica capaz de avaliar o tempo e informar os navios e submarinos alemães que atuavam. Assim, tendo uma avaliação das condições climáticas da Rússia, foi possível planejar os ataques com maior antecedência e poupar as vidas dos soldados que sofreriam com as baixas temperaturas.

Enfim, em todos os casos citados neste texto, os profissionais da meteorologia se valem de diferentes fatores em busca da conclusão correta: diversos cálculos, interpretação de dados de estações meteorológicas, experiência de campo, conhecimentos climáticos etc. Desse modo, como vimos, toda a sociedade se beneficia com a possibilidade planejamento e prevenção que ela traz!

Então, gostou do nosso texto? Agora, aproveite a visita em nosso blog para conhecer um pouco mais sobre o papel da meteorologia na prevenção dos desastres naturais!