Artigo narrado por: Amanda Souza- Meteorologista

No mercado competitivo em que as empresas estão inseridas, a palavra de ordem é “eficiência”. Mas como atingi-la em um ramo que depende de fatores como chuvas, ventos e umidade do ar, como nas obras? Daí a importância do gerenciamento de processos na construção civil.

Esse gerenciamento é uma ferramenta que pode trazer muitos benefícios para a empresa. Coordená-lo com a previsão do tempo é uma manobra estratégica que certamente renderá economias para a empresa.

Neste artigo, vamos explicar como fazer essa gestão dos processos quando as condições meteorológicas não são as melhores. Leia até o fim e aproveite!

O que é gerenciamento de processos na construção civil?

O gerenciamento de processos é uma metodologia de planejamento que vem sendo utilizada por empresas de diversos setores há algumas décadas. Basicamente, consiste em um plano de ação bem delimitado para cada etapa do trabalho, de forma que as atividades de cada equipe sejam feitas de forma coordenada e que os colaboradores não precisem improvisar a cada nova tarefa.

Na construção civil, é comum que empresas menores e aquelas que ainda estão começando não apliquem essa metodologia em suas obras. Isso pode levar a um desgaste com fornecedores e clientes, além de baixar a eficiência da empresa. Cada organização deve fazer um estudo de suas rotinas para estabelecer quais são os processos e o plano de ação para cada um deles. Mas há alguns que são comuns a todas as empresas da construção civil. Veja, a seguir.

Planejamento físico-financeiro do empreendimento

Esse processo estabelece a relação do tamanho do empreendimento com os recursos que ele vai demandar. É nessa etapa que o gestor deve cruzar informações de prazo e investimento disponível para a conclusão da obra, bem como os materiais necessários para tal.

Planejamento de compra de suprimentos e contratação de serviços

Em uma obra, mais do que quanto comprar de cada suprimento, é fundamental planejar quando comprar cada tipo de material e contratar os serviços. Principalmente levando em consideração as condições meteorológicas, que podem levar à perda de materiais e à não execução de serviços.

Monitoramento constante das atividades

Acompanhar e monitorar a realização dos serviços também são importantes processos da construção civil. Só assim será possível entender o que está funcionando e o que não está, para propor melhorias em cada etapa.

Por que se preocupar com o gerenciamento de processos?

Tomemos como exemplo uma obra sendo feita sem planejamento. Isso é muito comum quando as pessoas fazem uma reforma pequena em casa e não contratam um engenheiro ou arquiteto profissional.

Normalmente, o que acontece nesses casos é que a obra, que estava prevista para ser concluída em dez dias, por exemplo, estende-se por um longo mês de estresse e chateação para o cliente. Além disso, são comuns as surpresas de ter que comprar mais material no meio do caminho, pois o planejado não foi suficiente ou o desperdício foi muito grande.

A única coisa que impede que isso aconteça em uma empresa de engenharia é um bom planejamento, melhor ainda se for realizado por meio da gestão de processos. Essa metodologia permite encontrar soluções na medida para cada etapa, de forma a ter uma operação otimizada em todos os momentos da obra.

Da fundação aos acabamentos, tudo tem um plano a ser seguido. Isso não só orienta as atividades como torna mais fácil promover mudanças quando há algum imprevisto, como mudanças no tempo.

Como gerir equipes após alerta de mau tempo?

Se o gerenciamento de processos é importante quando todas as condições estão favoráveis, ele se torna primordial quando o tempo não está dos mais amigáveis. O mau tempo pode transformar o canteiro de obras em um tormento caso não haja um plano de como agir nessas condições. A seguir, explicamos como a gestão dos processos deve ser feita no mau tempo.

Prepare o gerenciamento logístico

Diante de um alerta de mau tempo ou previsão de condições não favoráveis à obra — como chuvas, granizo, ventos muito fortes ou alta umidade relativa do ar —, o gestor deve rever a logística da obra.

Quais materiais estão previstos para serem entregues? É possível adiar ou parcelar a entrega para ter menos materiais no canteiro? Como anda a agenda do aluguel de máquinas e equipamentos? Essas e outras questões devem entrar nessa fase do planejamento.

Adapte o planejamento

É muito importante ressaltar aqui que um planejamento é um documento dinâmico. É ele que deve ser adaptado às necessidades da empresa ou do projeto — e não o contrário.

Portanto, sempre que houver circunstâncias que estejam em confronto com o planejado, é importante rever o documento e adaptá-lo para a realidade. O planejamento deve ser um norte para o gestor e não uma camisa de força que o impede de ter flexibilidade nas ações de seu dia a dia.

Preveja imprevistos

Os imprevistos são bem difíceis de serem antecipados — já por isso recebem o nome de “imprevistos”! Mas algumas situações podem ser imaginadas, e isso é importante para a elaboração de um plano de contingência.

Ter esse documento elaborado ajuda não só a lidar com casos concretos, mas também a pensar em soluções para situações parecidas com as que foram previstas.

Planeje a produção

Infelizmente, ainda é comum assistirmos a cenas de obras completamente paradas e equipes ociosas devido ao mau tempo. Para que isso não aconteça, o gestor deve planejar a sua produção tendo em vista os boletins meteorológicos. Dessa forma, o engenheiro consegue designar profissionais para cada atividade, mesmo sob condições menos favoráveis.

Otimize a comunicação

A comunicação deve ser fluida, transparente e em via de mão dupla em todos os níveis da obra. Mas quando as condições meteorológicas são adversas, esse fluxo deve ser aprimorado. Isso ajuda a evitar desperdícios, melhora a produtividade nos dias mais difíceis e ainda evita acidentes de trabalho.

Informe sobre as condições meteorológicas

Essa medida está intimamente relacionada ao ponto anterior. Não basta os gestores estarem informados sobre os alertas de mau tempo. É preciso que eles repassem essa informação para os seus subordinados na obra.

Assim, as equipes estarão mais preparadas para enfrentar condições adversas e evitarão se expor a situações de risco. Essa é uma boa maneira de aumentar a segurança do trabalho.

Depois de ler nosso artigo, fica nítido que o gestor de obras deve ter um acompanhamento constante da previsão de meteorologia para otimizar a sua obra, garantir a integridade física de seus colaboradores e atingir a eficiência. Para isso, ter o auxílio de uma empresa especializada em previsão do tempo é um excelente diferencial.

Os boletins meteorológicos oferecidos por essas empresas são personalizados e trazem exatamente as informações de que o gestor precisa para realizar o seu gerenciamento de processos na construção civil.

Ficou interessado em obter esse serviço para as suas obras? Entre em contato conosco! Vamos planejar juntos essas ações!