Aqui no blog, já falamos sobre a energia térmica, que é obtida a partir da queima de algum material. Uma das possibilidades de combustível para esse tipo de energia é a biomassa, ou seja, matéria orgânica.

A energia biomassa é uma das principais fontes utilizadas atualmente no Brasil e tem potencial para ainda crescer muito mais. Por se tratar de uma fonte de energia renovável e com menor emissão de carbono, ela tem sido amplamente explorada no país e também no mundo. 

Neste artigo, abordaremos alguns aspectos relevantes sobre esse tipo de energia para você ficar por dentro do assunto. Boa leitura!

Vantagens da utilização da energia biomassa

A energia biomassa pode ser obtida por meio da queima de vários tipos de material. Muitas vezes, trata-se de materiais que já são subprodutos de outras atividades. O exemplo mais comum é o bagaço da cana.

Daí concluímos a primeira grande vantagem da biomassa, que é o fato de ser um recurso renovável. Os combustíveis usados nesse tipo de usina são de origem vegetal, o que significa que sua produção e seu beneficiamento tem um impacto muito menor para o meio ambiente.

Sustentabilidade

Outra grande vantagem da biomassa está nos resíduos que ela libera para a atmosfera. Ao contrário da queima dos derivados de petróleo, como a gasolina e o diesel, a combustão de produtos de origem vegetal é muito menos poluente, uma vez que libera menos carbono na atmosfera.

Conservação de equipamentos

Em comparação a outras fontes de energia térmica, a biomassa também se mostra vantajosa do ponto de vista da conservação dos equipamentos. Nas usinas que usam matérias-primas de origem vegetal, observa-se uma menor corrosão de caldeiras, fornos e outras benfeitorias.

Mais econômica

Por fim, é importante dizer que a biomassa é uma matéria-prima mais barata do que outros combustíveis, principalmente porque trata-se, em grande parte das vezes, de subprodutos que não teriam uso de outra forma.

Desafio das usinas de biomassa

A energia biomassa é uma tecnologia que, apesar de não ser exatamente nova, tem sido explorada em níveis industriais há relativamente pouco tempo. Portanto, estamos falando de uma área que tem ainda muitos desafios a superar.

Um deles é a falta de desenvolvimento de tecnologias sustentáveis. De nada adianta ter a produção da energia biomassa se as plantas de produção não estão preparadas para funcionar com essa energia.

Outra questão relevante é a gestão dos resíduos. Ainda que a queima de produtos de origem vegetal gere resíduos menos poluentes do que a queima de combustíveis fósseis, é preciso encontrar uma solução para esses restos da queima. Quando se utiliza carvão e petróleo na produção de energia, os resíduos são reaproveitados em outras indústrias. É preciso fazer o mesmo com as cinzas da biomassa.

Também precisamos falar sobre o melhor tipo de biomassa a ser usado. As opções são inúmeras, mas é preciso adaptar as plantas industriais, pensar em processos de conversão, químicos e outros aspectos que tornem a energia biomassa mais eficiente.

Participação no mercado brasileiro

No Brasil, a principal fonte de energia vem das usinas hidrelétricas. Porém a energia térmica é utilizada quando há um período prolongado de estiagens e a vazão dos rios não é suficiente para produzir toda a quantidade de energia necessária para abastecer o país.

Nesses casos, as empresas produtoras de energia devem ficar atentas à previsão do tempo para oferecer seu excedente para as geradoras que precisem complementar a sua produção energética.

Nos últimos anos, a participação da energia biomassa no mercado tem crescido de forma significativa, e a tendência é que essa fatia cresça ainda mais. O Brasil é um país com alto potencial para a exploração da biomassa, uma vez que nosso potencial agrícola é alto e nós temos vários subprodutos que podem ser usados na geração da energia térmica a partir da biomassa.

Matéria-prima para produção de energia biomassa

Basicamente qualquer resíduo orgânico pode ser usado na produção da energia biomassa. Alguns países têm tecnologia para a transformação de excrementos de animais em energia. Outros aproveitam-se da produção dos gases da decomposição do lixo indiferenciado orgânico para essa geração energética. 

No Brasil, um dos produtos mais utilizados nessa indústria é o bagaço da cana-de-açúcar. Depois de beneficiada para a produção de açúcar e outros produtos, a cana ainda deixa para trás o seu bagaço, uma fibra vegetal que não pode mais ser aproveitada para a alimentação.

Mas ela ainda pode cumprir um papel importantíssimo na matriz energética. O bagaço da cana é um excelente combustível para a queima, podendo ser usado na geração de energia para as fazendas e também para a venda do excedente para as geradoras.

Além disso, da cana ainda sai um outro produto muito relevante para a geração de energia no Brasil: o etanol, que abastece os tanques de milhares de veículos da frota do país.

Por responder a um percentual tão alto da produção da energia biomassa, os produtores de cana precisam ficar atentos à previsão do tempo. Dessa forma, eles conseguem prever como será a safra e otimizar a produção.

Transformação em energia utilizável

Quando falamos em energia biomassa, a forma que costuma vir à cabeça das pessoas para a transformação da matéria-prima em energia é a queima. A energia térmica conseguida vira energia elétrica em um gerador e pode ser utilizada para alimentar diversos tipos de motores.

Mas há outras formas de promover essa transformação. A gaseificação é uma dessas formas. Trata-se da conversão de um combustível sólido — por exemplo, o bagaço da cana, ou a casca do coco — em gasosos.

Isso é feito por meio de reações termoquímicas que expõem a matéria-prima a altas temperaturas e também condições controladas de vapor de água e ar ou oxigênio. O gás resultante do processo pode ser usado para alimentar motores de diversos tipos.

Outra forma de transformar a biomassa em energia disponível é a pirólise. Aqui, estamos falando de uma reação química que também ocorre sob altas temperaturas. Porém, ao contrário da combustão, ela acontece na ausência de ar. Essa reação faz com que moléculas grandes de uma determinada substância seja quebrada em outras, menores e mais fáceis de serem usadas.

Restrição do negócio

Infelizmente, hoje em dia, o uso da energia biomassa ainda é restrito às empresas e indústrias. O consumidor final só tem acesso a essa matriz energética de forma indireta quando os reservatórios hidrelétricos estão baixos e o governo precisa complementar a quantidade de energia disponível.

Essa restrição acontece porque a construção de uma usina de energia biomassa ainda demanda um investimento muito alto em infraestrutura. As usinas são complexos enormes e dotados de alta tecnologia, que não se justificam se o uso não for em escala industrial. 

No futuro, porém, pode ser que a tecnologia evolua e seja possível o uso de energia biomassa nas residências e no contexto dos negócios nas cidades. A sustentabilidade tem se mostrado uma preocupação sempre crescente não só no Brasil, mas no mundo. Isso significa que as chamadas energias limpas tendem a conquistar ainda mais espaço.

meteorologia tem um papel fundamental nessa questão, uma vez que a produção dos insumos que serão transformados em matéria-prima para a energia biomassa faz parte dos negócios de perfil agrícola. Assim, os gestores de fazendas precisam saber como o clima se comportará para planejar a safra.

Para saber mais sobre essa relação, leia nosso artigo sobre como as chuvas irregulares impactam a cadeia do agronegócio. Nos vemos no próximo post!