Um dos grandes desafios do nosso século é encontrar fontes energéticas mais eficientes, renováveis e com menor pegada de carbono. No Brasil, país tropical ensolarado praticamente o ano todo, a energia solar é uma das opções mais promissoras.

O investimento nessa matriz energética nos últimos anos tem feito o país ganhar eficiência. Segundo projeções da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), em 2019, espera-se que o país tenha um crescimento de 44% em capacidade de energia solar, depois de dois anos consecutivos de crescimento.

Além de muito mais barata, essa matriz pode ser um caminho para o futuro energético do Brasil. Atualmente, o nosso modelo energético é baseado em hidrelétricas, que consomem uma grande quantidade de água para a produção. A energia solar é responsável por menos de 1% da capacidade do país. A boa notícia é que esses números revelam um imenso potencial a ser explorado.

O cenário é extremamente positivo para os investimentos na energia heliotérmica. Para entender alguns dos principais motivos para empresas de energia apostarem nessa matriz, continue a leitura deste artigo!

Economia

O fator financeiro é um dos principais motivos para que as empresas apostem mais na energia solar nos próximos anos. A montagem de uma usina fotovoltaica é muito mais barata do que a de outras plantas energéticas, o que já representa uma enorme vantagem.

A instalação desse tipo de usina é tão simples e acessível que pode ser feita por pequenas empresas ou até residências particulares, sendo que o retorno do investimento costuma vir depois de cinco anos. Se tivermos isso em mente ao pensar nas empresas produtoras de energia, conseguimos entender que a matriz solar realmente é muito mais econômica do que os demais modelos.

Diminuição do uso de recursos naturais

Outra grande vantagem da matriz solar de energia é o uso de recursos naturais. Para aproveitar a energia heliotérmica, tudo que precisamos fazer é captá-la e transformá-la em eletricidade para fazer funcionar sociedades inteiras.

O maior aproveitamento da energia solar diminui o uso de água e combustíveis como a biomassa para a geração de energia. Além de ser muito mais econômico, uma vez que utiliza um recurso energético gratuito, a energia solar se apresenta também uma matriz mais limpa e sustentável.

Redução dos impactos ao meio ambiente

Além de consumir menos recursos energéticos, a energia solar tem uma outra vantagem ambiental: os impactos dela são muito menores. Se comparada à energia hidráulica, a matriz solar é mais vantajosa, pois elimina a necessidade da construção de barragens e o represamento dos rios — além de diminuir drasticamente o uso de água, como já vimos.

Mas ela também é muito mais vantajosa do que outras matrizes do ponto de vista da sustentabilidade. A energia térmica, por exemplo, gera uma pegada de carbono muito maior, além de promover um aquecimento das águas de rios e mares.

A energia solar é mais sustentável até do que a energia eólica, que também usa um recurso natural limpo e renovável. As turbinas eólicas geram muito ruído, que contribui para a poluição sonora. Além disso, ela pode interferir no fluxo migratório de aves.

Fonte de energia renovável

Como todas as estrelas, o Sol também tem um ciclo de vida e, em algum momento da história do universo, ele desaparecer. Porém, a astrofísica calcula que isso só deve acontecer daqui a aproximadamente 6,5 bilhões de anos, ou seja, não é nada com o que devamos nos preocupar agora.

Para nós, o Sol continuará sendo, por muitas gerações, uma fonte segura e inesgotável de energia. Portanto, estabelecer uma matriz energética que se baseie nesse recurso, que é totalmente gratuito e renovável, é estratégico para os países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Equipamentos de fácil instalação

A estrutura necessária para a montagem de uma usina fotovoltaica é muito menor e mais simples do que os esforços mobilizados para a instalação das demais matrizes energéticas. As placas de captação solar e a rede de transmissão da energia são de instalação simples. Isso diminui o tempo de construção da usina, além de apresentar gastos também reduzidos.

Outro fator relacionado a isso é o local de instalação. Parques eólicos, usinas termelétricas e hidrelétricas exigem uma escolha cautelosa do lugar, pois exigem condições específicas, mas uma usina fotovoltaica só precisa que haja boa exposição solar.

Manutenção mínima

Além de a instalação ser mais simples e barata, os equipamentos de uma usina fotovoltaica têm um longo período de vida útil. Nas unidades familiares, estima-se que o equipamento fique cerca de 25 anos sem precisar de grandes manutenções. Nas grandes usinas, instaladas por empresas de energia, a necessidade de reparos também é mínima.

Quando é preciso dar alguma assistência aos equipamentos, os custos desses trabalhos também compensam. As placas de captação têm custo muito menor do que os demais equipamentos nas outras matrizes energéticas.

Atualmente, já é relativamente comum no Brasil a instalação de sistemas de aquecimento da água com base na energia solar. Muitos condomínios residenciais e até casas têm apostado nesse modelo para diminuir a conta de luz.

Mas a energia heliotérmica tem um potencial muito maior que isso. Hoje em dia, já é possível abastecer todo tipo de equipamentos com energia elétrica gerada a partir do Sol. A base dessa tecnologia continua a mesma: os painéis de captação solar.

Para a utilização em larga escala, como é o caso das empresas de energia, o modelo do parque energético também é mais elaborado. Esse tipo de planta exige a instalação de espelhos dispostos de forma a refletir a luz solar em grandes receptores cheios de sal rodeados por algum fluido — normalmente água.

A energia absorvida pelos espelhos é transferida para o sal, fazendo com que ele aqueça o meio líquido ao seu redor. Fervendo, esse fluido faz girar turbinas de vapor e a energia mecânica gerada aí é transformada em energia elétrica por meio de um gerador.

O calor gerado além da quantidade necessária para mover as turbinas é guardado junto com o sal líquido. Dessa forma, a usina continua a funcionar e produzir energia também durante a noite, quando não há exposição solar, ou em dias nublados.

O futuro da geração de energia em todo o mundo está em fontes mais limpas e renováveis. Em um país como o Brasil, que tem índices altíssimos de dias ensolarados, a energia solar aponta para ser o futuro do abastecimento no país. O setor energético deve ficar atento a essas mudanças para conseguir atender às necessidades da sociedade.

Agora que você já entendeu os principais aspectos dessa matriz energética, que tal informar-se melhor sobre a energia biomassa? Leia nosso post e compreenda mais sobre o assunto!