Fontes de energia renováveis, como a hidráulica, a solar e a eólica, aproveitam as forças da natureza para gerar uma alternativa que não deixa resíduos, sem consumir os recursos não renováveis do planeta. Porém, são influenciadas pelas condições meteorológicas. No caso da energia eólica, você sabe como o clima interfere na sua geração?

Neste post, vamos esclarecer essa relação e mostrar como é possível aproveitar todo o potencial dessa opção tão utilizada na Europa, no Canadá e nos Estados Unidos. Boa leitura!

Como funciona a energia eólica?

Se você já viajou pelo Nordeste do país, principalmente pelas estradas, deve ter reparado naqueles enormes “cata-ventos” espalhados por grandes extensões do território. Quase sempre, eles se movem lentamente e de forma constante.

Esses equipamentos, que podem ter mais de 200 metros de altura, são os chamados aerogeradores — ou turbinas eólicas. As pás se movem com o vento, enquanto as turbinas têm um dispositivo que controla a velocidade do movimento. Assim, em caso de ventos muito fortes, não há o perigo de as pás atingirem uma velocidade alta demais e causar um acidente.

Na produção de energia elétrica de matriz eólica, mais de um tipo de energia está envolvido. Assim como nos antigos moinhos, o movimento das pás causado pelo vento gera energia mecânica. Com ela, seria possível realizar trabalhos de força, como o giro de engrenagens para diversos fins.

Mas só essa energia não é suficiente na vida moderna — e é por isso que as turbinas eólicas são equipadas com um gerador. Dentro do mecanismo, ela passa por um multiplicador e, depois, é transformada em energia elétrica, que pode ser armazenada e usada para os mais diferentes fins.

Há três tipos de sistemas de produção de energia que têm os ventos como principal fonte. Veja:

  • sistemas isolados: pequenos e com capacidade para abastecer regiões que não têm acesso à rede elétrica;

  • sistemas híbridos: combinam a energia eólica com outras matrizes energéticas, como painéis fotovoltaicos ou energia biomassa, e têm capacidade para atender mais usuários;

  • sistemas interligados à rede: usam grandes quantidades de turbinas, e toda a energia produzida é transformada em elétrica e entregue diretamente à rede.

De que forma o clima interfere na geração de energia?

A maior ameaça à produção de energia por meio dos ventos é a ausência das condições adequadas de densidade e velocidade para fazer girar as turbinas.

Os aerogeradores começam a trabalhar quando o deslocamento do ar chega aos 3 m/s (ou 10 km/h), e têm seu funcionamento interrompido quando essa marca alcança de 90 a 100 km/h, para evitar danos ao equipamento e possíveis problemas relacionados à segurança. Assim, o ponto alto do desempenho das turbinas acontece quando as velocidades estão entre 25 e 40 km/h.

De forma simples, podemos dizer que, nos períodos de maior seca — quando não venta muito —, a produção de energia eólica sofre uma pequena baixa. Já nos períodos mais chuvosos — quando, em nosso país, há também tempestades e mais ventos — há uma produção maior de energia.

No Brasil, as estações mais propícias para a geração de energia eólica são o inverno e a primavera. Nesse sentido, o período que vai de agosto a novembro é o que registra a maior ocorrência de ventos capazes de fazer girar as turbinas eólicas.

No restante do ano, as condições dos ventos não são ideais para a produção desse tipo de energia. A partir dessa característica, entendemos por que a energia eólica não pode ser a principal fonte energética do país. Como o regime de ventos é irregular e há períodos sem correntes ideais de ar, não é o ano todo que temos uma boa geração de energia eólica.

A região Nordeste reúne as condições mais favoráveis para a produção de energia eólica no país. Toda a zona tem exposição constante aos ventos alísios de Sudeste, que têm estabilidade e constância no que diz respeito à sua continuidade e ao fluxo. Isso faz com que o Brasil seja o líder de desempenho no setor da energia eólica na América Latina.

Quais alternativas podemos usar em cada caso?

Mesmo quando as condições de vento não estão perfeitas, é possível aproveitar a produção de energia eólica. Para isso, basta usar turbinas que sejam adequadas àquela configuração meteorológica, para que sejam acionadas com as condições locais do tempo.

No Brasil, as mudanças climáticas têm alterado o padrão dos ventos, fazendo com que as turbinas importadas da Europa e usadas atualmente sejam menos eficientes. Por isso, o ideal é que o país desenvolva e passe a utilizar um modelo de aerogeradores que seja específico para o clima do país.

A produção de energia eólica no Brasil é um excelente complemento para a fonte energética mais amplamente utilizada, ou seja, a energia hidrelétrica. O período de maior incidência de ventos intercala-se bem com o período de maior volume de chuvas — que vai do início do verão até meados do outono — garantindo que o país não passe por ameaças no fornecimento energético.

Como a meteorologia pode atuar na geração de energia eólica?

A meteorologia tem um papel fundamental no aspecto estratégico da geração de energia. Se é verdade que ela não pode influenciar nas condições climáticas e atuar na geração em si, essa ciência atua na relação que os órgãos públicos e as empresas têm com cada cenário ao qual serão apresentados.

As informações da meteorologia permitem ao governo e às empresas entender qual é o prognóstico para os próximos meses. Um bom boletim meteorológico traz não só os dados brutos, mas também a sua interpretação e orientações de ações que os órgãos públicos e as empresas deveriam tomar para manter todas as suas atividades em operação normal.

Com esse material completo, é possível realizar um plano para otimizar os recursos empregados no período. Por isso, entender de que forma o clima interfere na geração de energia é uma informação preciosa para o gestor.

Saber as ameaças que vêm das condições meteorológicas em cada época do ano fornece dados para um planejamento estratégico mais preciso, de forma a otimizar os recursos da empresa e evitar prejuízos e gastos desnecessários.

A energia eólica é uma fonte energética que tem sido cada vez mais explorada no mundo e é considerada um potencial em tempos de recursos naturais mais escassos. As suas limitações podem ser contornadas com o uso sábio das informações fornecidas pela meteorologia e com a adoção de um sistema de matriz mista, em que a energia dos ventos seja uma das componentes.

Este conteúdo foi interessante e relevante para você? Então, siga-nos nas redes sociais e encontre mais informações úteis como esta. Estamos no FacebookLinkedIn e Twitter!