Artigo narrado por: Vitor Damato- Desenvolvimento de mercado

A maioria das pessoas já sabe: se começa a relampejar, é hora de sair da praia, piscina ou cachoeira. Ser atingido por um raio é um acidente que, mesmo sendo raro, pode ser fatal. As descargas elétricas têm uma voltagem altíssima, muito maior do que o corpo humano consegue suportar.

Algumas cidades do mundo são mais propensas do que outras à ocorrência de raios, devido às suas características geográficas e meteorológicas. Neste post, mostraremos algumas delas e explicaremos por que isso acontece. Boa leitura!

Por que as descargas elétricas são perigosas?

Os relâmpagos são fenômenos naturais que acontecem na atmosfera terrestre. Quando há um rápido deslocamento de elétrons de um ponto para o outro, eles fazem com que o ar ao seu redor se ilumine, gerando o relâmpago. Quando há também o aquecimento desse ar, o movimento produz um som, os trovões. E quando essa descarga elétrica se conecta ao solo, acontece o que nós chamamos de raio, aquela rajada vertical de luz e energia que vem do céu.

O Brasil é um dos países do mundo com maior incidência de raios. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), são mais de 78 milhões por ano! De 2000 a 2014, foram registradas 1.792 mortes por descargas elétricas, o que dá uma média de 120 por ano. O instituto também concluiu que dois terços dessas mortes acontecem em ambientes abertos, como praias, campos e plantações. Nessas condições, as chances de morte por descarga elétrica são de 1 para mil.

A corrente de um raio pode causar ferimentos por queimaduras, mas também quadros mais graves, como parada cardíaca e respiratória. Os sobreviventes costumam apresentar sequelas psicológicas e físicas.

Onde caem mais raios no mundo?

Algumas cidades têm uma incidência maior de raios do que outra, e estudos tanto da Nasa quanto de outros institutos de pesquisa pelo mundo fazem essas medições. Veja algumas cidades onde há mais descargas elétricas.

1. Maracaibo, Venezuela

No norte da Venezuela, em um lago formado entre o encontro do rio Catatumbo e o lago Maracaibo há um lugar que ganhou o apelido de “Tempestade Eterna”. Por lá, há 260 dias de tempestade por ano, e o local é atingido por milhares de raios por hora. 

A ciência ainda não conseguiu chegar a um consenso sobre os motivos que levam essa região específica a atrair tantas descargas elétricas. Mas a teoria mais aceita é que o fenômeno se deve à combinação entre a topografia da região e as correntes de ar que circulam por lá.

2. Kifuka, República Democrática do Congo

Na África Central está localizado o segundo maior polo de raios do mundo, o vilarejo de Kifuka. Anualmente, a região é atingida por uma média de 158 relâmpagos por quilômetro quadrado. Localizada a 300 km da linha do Equador, a cidade atrai uma grande quantidade de descargas elétricas. O fenômeno se intensifica por conta das altas temperaturas, que causam uma maior convecção do ar.

3. Kuala Lumpur, Malásia

A cidade de Kuala Lumpur, capital da Malásia, é mais uma das cidades com maior número de raios do mundo. O Departamento de Meteorologia do país identificou que há uma ocorrência de 240 dias de raios por ano, e cerca de 25 a 40 descargas elétricas atingem o solo todos os anos.

4. Campo Grande, Brasil

A capital do Mato Grosso do Sul é a cidade brasileira com maior incidência de raios. Em outubro de 2017, uma única tempestade registrou mais de 350 raios. O “festival de luzes” se deu por conta de uma conjunção de fatores. A região estava sem chuvas havia muitos dias e as temperaturas estavam altas. Some-se a isso um temporal rápido e intenso, e está pronta a receita para uma tempestade de raios.

Quando há ocorrência de descargas elétricas, é fundamental abrigar-se em locais protegidos, mesmo que seja dentro de um carro. Nas cidades, os para-raios têm a função de proteger a população contra esses fenômenos tão impressionantes quanto perigosos.

Se você gostou deste conteúdo, siga-nos nas redes sociais e acompanhe o que postamos por lá! Estamos no FacebookTwitter e LinkedIn.