Você como gestor de uma empresa fez o desenvolvimento de projeto, planejamento estratégico, empresarial etc. Tudo isso para diminuir as porcentagens de erro, que poderia gerar prejuízos irreversíveis para o negócio.

Por exemplo, em um cenário de quedas de energia e apagões, as empresas podem ficar improdutivas por horas. Isso gera danos econômicos, geralmente milionários, como o que ocorreu por três horas no dia 21 de março de 2018, em 102 municípios alagoanos e afetou em 32,19 milhões a economia do Estado.

Então, existem acidentes e há eventos ocasionados por falhas de planejamento em situações passíveis de ocorrerem. A descarga elétrica, uma das principais responsáveis por apagões, é um desses eventos.

Dos 3,15 bilhões dos raios que atingem a Terra, 100 milhões são no Brasil. Dessa forma, um bom líder precisa estar ciente desses riscos e saber como evitá-los. Quer saber como? Confira nosso post!

Evolução de uma tempestade com nuvens carregadas

Quando nuvens se separam, acontece o fenômeno da tempestade, cujo a maior incidência é pela tarde — entre 16 e 18 horas — durante o verão e em regiões tropicais e temperadas. Porém, é possível que isso ocorra em outras épocas do ano, próximo aos polos e em qualquer horário.

As nuvens que possuem cargas positivas sobem e as negativas descem, o que induz a superfície a uma carga positiva também, e ocorre a criação de um campo elétrico. Todo esse processo de formação gera uma descarga elétrica. Isso porque, as nuvens precisam encontrar um local para escoar tanta eletricidade. Seus danos podem ser fatais, como a morte de pessoas, animais, e a vegetação.

Por isso, é importante que as empresas se previnam das descargas elétricas ao adotar os famosos para-raios, aparelhos de segurança que possuem haste de metal e cujo objetivo é atrair os raios para as suas pontas e depois desviá-los para o solo, por meio de cabos de resistência elétrica. Além disso, é preciso que você também siga corretamente as normas de funcionamento, para que todo ocorra de forma segura e planejada.

Estatísticas de quedas de raios no Brasil

Ter esses cuidados para evitar que uma descarga elétrica destrua planejamentos estratégicos e financeiros, além de diminuir os lucros e a produtividade de uma empresa são essenciais, já que os dados que mostram a incidência desse fenômeno no Brasil são alarmantes.

Como foi dito na introdução, 100 milhões de raios que incidem na Terra caem em solos brasileiros e fazem nosso país ser o campeão mundial desse fenômeno. E ainda, enquanto que 90% dos raios que atingem o mundo tem carga negativa, só os 60% que atingem a região Sudeste, também segundo o INPE, são positivos, configurando o tipo de raio mais perigoso.

Em relação aos prejuízos financeiros, calcula-se que tenham ocorrido 974 falhas na rede elétrica, somente em 2016. Os números mostram ainda que, se um grande blackout atingisse toda a região da Grande São Paulo por apenas uma hora, a perda seria de 30 milhões de dólares. Os dados reais também são alarmantes, em 6 anos os danos ocasionados pelos raios custaram 100 milhões de reais ao país.

Dependendo da dimensão do apagão, serviços de internet, telefonia, viagens de metrôs e trens urbanos podem ser interrompidas e alguns semáforos podem ficar parados. Isso gera um caos que afeta indireta ou diretamente as empresas.

Riscos em eventos abertos

Os dados também são preocupantes quanto ao número de mortes causadas pela descarga elétrica. De acordo com o INPE, 111 pessoas morrem por causa desse fenômeno e 500 são vitimadas por ano por causa dele. Entre 20% e 30% dos atingidos pelos raios não sobrevivem, a maioria morre por parada cardíaca e respiratória. 70% dos sobreviventes acabam ficando com uma série de sequelas psicológicas e orgânicas.

Por isso, a necessidade de evitar acidentes torna-se essencial, principalmente em locais abertos, já que 85% dos acidentes ocorrem nesses espaços. As principais situações de risco envolvem os trabalhadores de canteiros de obras gerais, inspeção de linhas aéreas, operação de minas a céu aberto, atividades florestais, estacionamentos abertos, pesca profissional etc.

Trabalhos em obras

Além disso, é preciso ser ainda mais cuidadoso para evitar acidentes no trabalho, como garantir o uso de equipamentos de segurança do trabalho, principalmente aos trabalhadores de construção civil que fiquem próximos a rede elétrica.

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) devem ser oferecidos e realizadas orientações para o uso correto desses instrumentos. Isso para atuar de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério do Trabalho, garantir a segurança dos funcionários e evitar problemas com o Judiciário, manchas na imagem da empresa e prejuízos financeiros.

Por isso, todas essas obras devem ser supervisionadas por profissionais técnicos especializados em instalações elétricas, que devem garantir a execução das normas de segurança estabelecidas pelo Ministério do Trabalho.

Aplicação da norma IEC 62793

Como as chances de um raio atingir uma área aberta são bem maiores, e considerando a densidade média brasileira, o risco é 280 vezes maior do que o tolerável. Por isso, a norma de aplicação internacional, IEC 62793, estabelece alguns requisitos para todos os dispositivos que realizam uma análise adequada do monitoramento da previsão de tempo severo, que faz a leitura da radiografia da atmosfera e constata previsões da chuva, temporais e descarga elétrica.

A norma funciona ao analisar as 4 fases de evolução de uma tempestade elétrica: fase inicial, fase de crescimento, fase de maturidade, fase de dissipação. A partir disso, classificam os detentores de A a D, de acordo com a fase.

É essencial contar com esses mecanismos de prevenção, principalmente se sua empresa tiver uma grande concentração de profissionais a céu aberto ou que trabalhem em locais altos e com materiais de ferro – que conduz energia elétrica e expõe os profissionais a possíveis quedas de raios. Isso diminui as chances de falhas da empresa. Afinal, a tecnologia estabelecida pela norma permite emitir um alerta a tempo suficiente para tomar medidas preventivas e salvar pessoas, animais e\ou serviços.

Portanto, considere que a previsão antecipada da descarga elétrica já é possível a custos suportáveis e é uma norma internacional tão importante quanto as normas do Ministério do Trabalho. Ambas devem ser cumpridas para garantir a segurança dos funcionários e a estabilidade da empresa.

Agora que você entende mais sobre a descarga elétrica, já pode entrar conhecer quais são nossas opções de soluções especiais e personalizadas no âmbito da meteorologia. Basta entrar em contato conosco!