Você já sabe o quanto as condições do tempo influenciam a qualidade e a produtividade das lavouras e como a antecipação e o monitoramento meteorológico são essenciais para o planejamento da safra.

Mas você sabia que na hora de negociar as commodities, o preço estabelecido no mercado também é impactado pela variabilidade climática e pela sazonalidade?

Sim, além de impactar diretamente no planejamento e desenvolvimento das lavouras, o clima influencia as especulações e consequentemente os preços nas bolsas de Chicago, Rosário e Bovespa. Quer entender como isso realmente funciona? Acompanhe nas próximas linhas:

Entenda o mercado climático

Acontece que independentemente de fatores como política e especulação que influenciam as altas e baixas dos preços nas principais bolsas, existem momentos em que essa variação ocorre de forma sazonal, é o que chamamos de mercado climático, ou seja, o mercado tende a estar mais inclinado a essa variabilidade por conta de fatores como fase de plantio e colheita que são completamente influenciados pelas condições do tempo.

Isso quer dizer que o mercado utiliza informações meteorológicas para especular sobre os possíveis resultados das principais safras, o que impacta diretamente a negociação das commodities, já que a mera possibilidade de um fenômeno conhecido por estabelecer um período intenso de seca que pode prejudicar as lavouras, já é o suficiente para provocar uma grande oscilação no mercado internacional.

Como isso impacta no preço das commodities

Na Índia, a produção de açúcar praticamente define os preços no mercado mundial, isso porque o país é o principal produtor de cana-de açúcar e se ocorre algum problema climatológico por lá, levando a uma quebra na safra, os produtores de açúcar em outros países que conseguiram “segurar” a safra, ganham um poder maior de negociação.

Nos Estados Unidos, é a época de plantio do milho e da soja entre os meses de abril e maio, que deixa o mercado internacional em forte agitação.

Isso porque alguns produtores aqui do Brasil por exemplo, podem travar os preços nesta época, para vender por um preço mais favorável no próximo período.

Depois da fase mais acelerada do plantio americano, o preço tende a uma leve queda, mas há um segundo pico em meados de julho, época de florada, em que não pode faltar chuva.

Caso isso ocorra, a possibilidade de uma quebra por lá, pode se tornar uma oportunidade para o produtor brasileiro mais atento que conseguiu produzir uma boa safra ou até mesmo para o que está planejando e negociando a próxima produção, já que a fase de plantio no Brasil e Argentina ocorre a partir de meados de setembro.

Como utilizar o mercado climático à seu favor

A esta altura, você já percebeu o quanto a sazonalidade impacta nos negócios e claro, o quanto as condições do tempo podem impactar direta e indiretamente nas condições das lavouras e nos preços de commodities, mas como usar isso à seu favor?

Podemos dividir em dois passos:

  • O primeiro: é preciso estar atento e entender quais são as épocas em que o mercado fica em alta e em baixa e comparar esses altos e baixos com as condições meteorológicas predominantes neste período.
  • O segundo passo é ter consciência de como fenômenos como o El Niño e o La Niña podem influenciar as principais safras, a americana, a argentina e claro, a brasileira.

Uma vez que você tem informações sobre os dados observados e entendeu como os fenômenos se comportam e influenciam o clima, o terceiro passo consiste em uma análise da previsão a longo prazo, ou seja, dos próximos meses, e um acompanhamento meteorológico constante para estar sempre a par de possíveis mudanças e variáveis, que possam impactar na negociação das commodities.

Uma vez que esses processos ficam claros, é possível ter uma noção maior de quando há possibilidade de alta ou baixa no mercado internacional.

Torne a meteorologia sua aliada

Se você já entende o quanto os fenômenos climáticos e meteorológicos impactam o agronegócio, você com certeza sabe o que a meteorologia é um fator fundamental não só no planejamento da safra, mas também na antecipação às negociações de longo prazo.

Apesar disso, é importante levar em consideração fatores como a variabilidade climática, já que por mais certeira que seja a previsão, detalhes como o volume de chuva podem ocorrer diferente do previsto devido à inúmeras variáveis que influenciam as condições meteorológicas.

É importante contar com serviços que disponibilizam, além de uma plataforma completa e segmentada para o agronegócio, profissionais especializados que analisam os modelos de previsão e auxiliam no planejamento do produtor, sempre levando em consideração essas variáveis meteorológicas, facilitando a negociação com base no mercado climático.

Agora que você entendeu a definição do mercado climático e o quanto isso pode impactar no preço das commodities, que tal compartilhar essa informação com quem ainda não sabe?
Aproveite e assine a nossa Newsletter, assim você já sai na frente e se antecipa com as informações recebidas diretamente no seu e mail.