Nuvens de tempestade e voo marcado são duas coisas que não combinam. Dependendo da meteorologia na aviação, atrasos ou até cancelamentos de viagens são inevitáveis e isso pode gerar inconvenientes de todos os tipos — até mesmo prejuízos para os negócios, dependendo do objetivo da viagem.

Prefere ouvir este artigo em vez de ler? Ouça no player abaixo!

Neste artigo, explicamos melhor a relação entre a previsão do tempo e a aviação e de que forma esse conhecimento pode ser usado para otimizar recursos nos negócios e evitar os prejuízos. Boa leitura!

Por que estar atento ao tempo para criar estratégias?

A aviação é, atualmente, uma das principais formas de transporte de cargas e passageiros. Todos os dias, milhares de aviões cruzam os céus do mundo todo, levando produtos e matérias-primas de diferentes perfis e também pessoas, viajando pelos mais variados propósitos.

Muitas das cargas são delicadas em termos de durabilidade e conservação. Portanto, precisam de um transporte que seja ágil e que consiga garantir as condições adequadas para que os produtos não se estraguem. Atrasos no voo por conta do tempo podem gerar grandes perdas, que terão um impacto significativo nas finanças da organização.  

Quando se fala do transporte de passageiros, cada vez mais empresas internacionalizam seus negócios nesse mundo amplamente globalizado. Assim, é muito comum que executivos e gestores viagem para participar de reuniões, fechar negócios e analisar cenários que levarão a decisões estratégicas.

Em muitos casos, o tempo desse profissional está contado, pois conciliar as agendas dos stakeholders é sempre um grande desafio. A remarcação ou o cancelamento de um voo por conta de mudanças de tempo pode representar uma oportunidade perdida.

O entendimento da relação entre a meteorologia e a aviação pode levar a um planejamento mais estratégico em termos logísticos, tanto no que diz respeito às cargas como no deslocamento de profissionais. Sabendo da possibilidade de uma tempestade em determinada janela de tempo, por exemplo, o gestor pode adiar ou até adiantar uma viagem, para garantir que não haja contratempos nos planos.

Quais fatores considerar sobre a meteorologia na aviação?

Quando se pensa sobre o tempo e a aviação, o mais comum é relacionar eventuais problemas às chuvas. Mas há outros fatores climáticos que interferem na possibilidade de as empresas aéreas funcionarem normalmente e colocarem suas aeronaves no ar. Veja os principais:

Densidade do ar

A variação de temperaturas influencia diretamente na densidade do ar. Nas horas mais quentes do dia — principalmente nas partes do globo onde é verão ou nas zonas tropicais —, o ar se aquece e propaga, ficando mais rarefeito.

Dependendo do modelo da aeronave e do comprimento da pista, entre outros fatores, o peso de um avião lotado pode colocar em xeque a segurança. Nessas condições, os aviões precisam diminuir seu peso.

Isso pode ser conseguido baixando um pouco o nível do combustível (o que pode ser perigoso ou até inviável, dependendo da duração da viagem), a quantidade de carga ou de passageiros. Se essa redução de peso não for possível, o voo precisará ser adiado até que as temperaturas estejam mais baixas e a aeronave consiga decolar carregando sua capacidade total de peso.

Correntes climáticas

A Terra é um dos planetas onde ocorre um fenômeno chamado “correntes de jato” (ou somente “jato”). Trata-se de correntes de ar muito fortes, que ocorrem na tropopausa, ou seja, o espaço de transição entre a troposfera e a estratosfera. Na troposfera, quanto mais alto se vai, mais baixa é a temperatura. Já na estratosfera, é o contrário: quanto maior a altitude, maior a temperatura.

Os jatos são causados pela própria rotação da Terra, em combinação com o aquecimento da atmosfera pela radiação solar. Eles se formam próximos às bordas de massas de ar adjacentes que têm diferenças significativas de temperatura — por exemplo, a região polar e o ar quente que vai rumo ao Equador.

Para a aviação, os conhecimentos sobre as correntes climáticas estão relacionados à possibilidade de uma relevante economia de combustível. Caso a aeronave pegue uma dessas correntes a favor, o impulso pode ser aproveitado e a quantidade de combustível necessária durante o voo será menor. Por outro lado, se o jato estiver na direção contrária, o gasto energético será muito maior, pois será necessária mais energia para romper o atrito.

O tempo de duração de um voo não é afetado por esses ventos. O que muda significativamente é o consumo de combustível — e, consequentemente, seu custo com esse recurso.

Possibilidade de nevoeiros

Os nevoeiros são, até hoje, o maior inimigo climático da aviação. Eles podem se formar muito depressa e prejudicam principalmente nos pousos e decolagens, uma vez que interferem de maneira direta na visibilidade do piloto. No Brasil, o tipo mais comum é o nevoeiro de radiação.

Constituído por gotículas de água suspensas no ar, esses fenômenos se formam quando o vapor do ar é condensado abaixo do ponto de orvalho. A alta pressão atmosférica e chuvas na noite anterior são fatores que contribuem para a formação das massas de vapor próximas do solo.

Os nevoeiros são mais frequentes no fim das noites mais frias do ano e vão aumentando próximo do horário do nascer do sol. O pico de incidência é por volta das 06h às 07h da manhã, principalmente no Sul do país.

Tempestades

Os aviões são preparados para aguentar certo grau de adversidades. Entre elas, raios e choque contra outros objetos que se encontram nos ares, como pedras de granito. Para o primeiro caso, as asas estão equipadas com “fios estáticos” que dissipam a descarga elétrica caso o avião seja atingido. Já para as colisões, a solução é uma fuselagem resistente e preparada para essas colisões.

No entanto, tempestades podem causar avarias às aeronaves, o que representa um sério risco à segurança dos passageiros, da tripulação e da carga. Por outro lado, sabendo sobre as regiões onde estão ocorrendo as tempestades, o piloto consegue se manter afastado, preservando a integridade da aeronave.  

Além de todos os motivos que já mencionamos, a meteorologia na aviação tem outro papel fundamental: garantir a segurança dos voos. De acordo com Gloria Kulesa, representante do órgão norte-americano de regulamentação da aviação civil, o mau tempo é responsável por 23% de todos os acidentes que acontecem com aviões. Assim, saber sobre as previsões do tempo é fundamental para garantir que cargas e passageiros cheguem aos seus destinos com segurança e a tempo.

Gostou de ler este conteúdo? Então você também vai gostar de receber nossas newsletters exclusivas. Assine e tenha acesso aos nossos posts diretamente em seu e-mail!