Sem tempo para ler? Que tal ouvir o artigo?

Também chamado de carta sinótica, o mapa do tempo é uma representação gráfica da previsão meteorológica de uma região, abrangendo alguns fenômenos, como direção dos ventos, variações de pressão, frentes frias e outros.

Os mapas do tempo são como “retratos” da atmosfera e correspondem a um momento bem específico. São formulados com dados captados de milhares de estações, aviões comerciais e balões meteorológicos, que são processados por supercomputadores que realizam milhões de cálculos por segundo.

Neste artigo, explicaremos melhor como ler um mapa do tempo e entender o que representam as linhas traçadas nesse documento. Boa leitura!

Quais são as principais características de um mapa do tempo?

Em um mapa do tempo existem diversas linhas de cores diferentes, letras e números espalhados sobre um mapa de uma determinada região geográfica. Na maior parte dos casos, elas seguem um mesmo padrão de codificação, que será o utilizado neste artigo.

As linhas amarelas são as chamadas linhas isóbaras, que são linhas de áreas com a mesma pressão atmosférica. O padrão é que a pressão seja o valor reduzido para o nível do mar. Quando estão muito próximas, essas linhas podem indicar ventos fortes.

Já as linhas azuis e vermelhas indicam a espessura do geopotencial, ou seja, a altura acima do nível do mar em que está uma massa de ar a determinado nível de pressão. Quando o valor notado está acima de 540 hPa, representa massas de ar quentes. Abaixo disso, as massas de ar frias.

O mapa também conta com algumas letras: o “A” corresponde a uma região de alta pressão, também chamada de área anticiclônica. Já o “B” simboliza uma região de baixa pressão, ou área ciclônica.

É importante destacar que as letras A e B são utilizadas no Brasil. Nos mapas de tempo dos Estados Unidos, por exemplo, as letras são L ( Lowest Pressure) e H ( Hight Pressure).

Outros símbolos importantes no mapa são as linhas coloridas com triângulos e formas circulares, que lembram bandeirolas de festas juninas. As linhas azuis com pequenos triângulos são representações de frentes frias.

Já as linhas vermelhas com círculos pela metade são o símbolo para frente quente. Linhas roxas com círculos e triângulos são as frentes oclusas e linhas azuis e vermelhas com círculos e triângulos alternados simbolizam uma frente estacionária.

Outras notações importantes em um mapa do tempo são linhas paralelas com uma linha em zigue zague no meio, que lembram uma escada. Elas representam zonas de convergência. Uma linha dupla paralela azulada é uma zona de convergência de umidade simples, uma região com nebulosidade e possibilidade de chuva.

Já uma linha dupla paralela laranja é o símbolo da Zona de Convergência Intertropical, uma região especial próxima à linha do equador em que persistem nuvens. E uma linha dupla paralela verde simboliza outra zona de convergência famosa: a Zona de Convergência do Atlântico Sul.

Como utilizar o mapa do tempo para previsão meteorológica?

Além das informações neste artigo, existem diversas outras representações gráficas que podem aparecer em um mapa do tempo, como correntes de jatos polares, jatos subtropicais, vórtice ciclônico e outros.

Para transformar um mapa do tempo em uma previsão confiável, meteorologistas combinam essas informações representadas com um olhar técnico aprofundado e o conhecimento do clima de uma região, além da experiência pessoal. Não é uma tarefa simples e qualquer erro de interpretação pode resultar em imprecisões imensas.

Agora que você já sabe como funciona um mapa do tempo, que tal compartilhar essa informação com seus amigos nas redes sociais? Vamos lá!